Teatro da Vertigem na 31ª Bienal de São Paulo

teatro da vertigem

“A última palavra é a penúltima” é uma intervenção cênica realizada pelo Teatro da Vertigem como parte da #31 Bienal de São Paulo.

Tendo como base a obra “O Esgotado” de Gilles Deleuze, “A última palavra é a penúltima”  foi realizada primeiramente no ano de 2008 e agora é revisitada pelo grupo que propõe, com o distanciamento do tempo, rever o já feito, refletir e reocupar o mesmo espaço de antes: o acesso subterrâneo da Rua Xavier de Toledo, abandonado no centro de São Paulo.

A última palavra é a penúltima
A última palavra é a penúltima

Todo o processo de construção do trabalho foi colaborativo. O público participa significativamente de duas formas diferentes: espontaneamente, reutilizando o espaço como passagem entre o Viaduto do Chá e a Praça Ramos de Azevedo; e como espectador assistindo a intervenção de dentro de vitrines.

teatro da vertigem

Público, transeuntes e atores se misturam.

Teatro da Vertigem na passagem xavier de toledo em São Paulo

O figurino também foi criado no processo colaborativo, partindo dos workshops realizados pelos atores e criadores sobre o tema e sobre o espaço da passagem e realçando os personagens existentes no imaginário do centro da cidade de São Paulo.

“Os atores atravessam a passagem dezenas de vezes, mas com significados distintos, como se algo da metrópole fosse potencializado em cada pequena cena: das manifestações de junho de 2013 ao uso obsessivo do celular, passando por cenas surrealistas. “A última palavra…” é como o delírio de febre alta, que nos reposiciona e mostra um mundo diferente, mesmo que ele seja sempre igual.” Fabio Cypriano crítico da Folha

 

Teatro da vertigem na bienal de sp

O espetáculo tem direção de Antônio Araújo e Eliana Monteiro, figurinos de Arianne Vitale Cardoso, cenografia Laura Vinci, iluminação de Guilherme Bonfanti e musica de Érico Theobaldo.

Teatro da Vertigem na bienal- cena do cigarro

 Com Roberto Audio, Sergio Siviero, Miriam Rinaldi, Luis Mármora, Kathia Bissoli, Lucienne Guedes, Daniel Farias, Mawuse Tulani, Sergio Pardal e Nicolas Gonzales.

Teatro da vertigem na bienal de são paulo

Fotos: Arianne Vitale Cardoso, Thiago BortolozzoMayra Azzi e Leo Eloy
A Ultima palavra é a penúltima

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s